Archive for the 'Receitas' category

Fissuras gastronômicas: ovos poché

Hoje o dia amanheceu com um sol lindo, daqueles que faz você trocar qualquer café da manhã por um pouco de sol. Peguei um livro, corri para a rede e fiquei estirada feito lagartixa albina lendo até a fome bater de verdade. Não demorou muito. O livro gastronômico descrevendo badejos listrados, lagostas frescas e ostras me fez correr rapidinho pra cozinha. A falta de criatividade, entretanto, imperou mais uma vez. O que fazer? O que fazer… Tã dãm! Ovos poché.

Há anos que o rbp vem falando de aprender a preparar ovo poché. Um tempo atrás, através de um amigo fissurado por comida, fomos aprensentados ao chef “Chulinho”, autor do blog Papo de Boteco e chef do restaurante Sinhá. Lá experimentamos uma coisa incrível, que despertou toda uma nova fase: imagine um treco elipsóide empanado em uma casca fina à milanesa, que quando quebrado com o garfo transborda gema cremosa em meio à clara consistente. Continue reading

Meu novo vício: salada de rúcula com rabanete

Ao longo desses anos, criamos o hábito de fazer jantares para receber amigos. É infinitamente mais legal, mais saudável e mais barato do que sair para comer. Na maior parte das vezes, o rbp comandando a cozinha (para meu deleite, haha) e eu no help geral: mesa, raladora oficial de queijo etc. Nas últimas vezes, começamos a dividir tarefas para deixar o jantar mais completo: entrada, salada ou consomé, prato principal e sobremesa.  Apesar dos vários anos fazendo esses programas, a pouca freqüência talvez não nos tenha trazido ainda a prática de conseguir preparar tudo rápido e com o mínimo de louça suja possível. Foi então que comecei a me arriscar mais na cozinha para “o público” (eu sempre cozinhei, mas para a casa). A excelência dos pratos do rbp sempre me deram um pouco de timidez. Aliás, era exatamente o que acontecia com o inglês: o sotaque britânico perfeito dele, muitas vezes confundido com nativo (pelos próprios nativos) fazia com que eu ficasse tímida e não falasse nada, absolutamente nada. Até que depois de algumas cervejas, vinhos ou qualquer dose de álcool, comecei a notar minha língua se soltando e as pessoas me compreendendo. Resultado: deixei a timidez de lado e hoje converso (independente do álcool, mas sempre ajuda). Continue reading

Brotknödel ou bolota de pão

O Brotknödel (ou brot-quinêdel) é para mim o “prato da alma”, segundo diria um amigo. É aquela comida reconfortante: não importa onde você esteja, ela o faz se sentir em casa. Knödel, na culinária germânica, se refere a qualquer tipo de bolinho. Conheço pelo menos três variações: Dampfknödel (knödel no vapor), Leberknödel (knödel de fígado de frango) e o Brotknödel (knödel de pão), possivelmente o mais popular. Talvez você o conheça de algum restaurante alemão, servido junto ao molho do Paprika Schnitzel.

Gosto de receitas que usam sobras de alimentos. O brotknödel pode ser uma saída muito simples para acabar com o pão velho e seco. Até por isso, vocês irão notar que a receita é um pouco vaga, mas na verdade, isto não compromete o resultado. A idéia é justamente usar condimentos que já estão em casa.

Minha mãe costuma preparar e servir junto a um caldo de legumes ou sopa, incrementada com batata e cenoura. Minha variação preferida, no entanto, era a dica da Oma (a sobra da sobra): knödels amanhecidos, cortados em fatias e passados na frigideira. Ficam com uma irresistível casquinha crocante e massinha cremosa por dentro.

Brotknödel

Brotknödel (para 4 pessoas) Continue reading

Béchamel com amêndoas II

Não sei por que continuo a achar que ninguém lê as coisas que escrevo. Publiquei o ensaio de ontem, sobre o penne, sem pensar nas conseqüências: estraguei a surpresa do jantar de hoje! Por sorte, o casal para quem eu cozinharia torcera justamente pelo mesmo prato que viram aqui no blog. Sorte mesmo, pois a outra opção seria a pizza delivery!

Por outro lado, o ensaio serviu ao seu propósito. O prato de hoje ficou realmente melhor do que o de ontem. Fiz o molho como o outro, apenas diminuindo a quantidade de leite e substituindo por vinho branco seco (cerca de 150ml). Também coloquei menos cebola e temperei com algumas pitadas de gengibre em pó e cerca de 7 sementinhas de erva-doce. Ao invés do penne, fiz fetuccine, minha massa preferida. Ficou maravilhoso, lá lá lá! :-)

Calma, calma, não joguem confetes ainda. O brownie, ao contrário, ficou horrível. Minha balança está emprestada e acabo de descobrir que sem ela sou como cego sem muletas. Como pesar 240g de cacau em pó? Além disso, pela primeira vez resolvi usar cacau ao invés de chocolate em barra, e açúcar mascavo no lugar do branco. Ficou um brownie seco e duro! :( As visitas gostaram, mas este não é o meu brownie!

Continue reading

Penne ao béchamel com amêndoas em lascas

Pelo menos três vezes ao ano, reservamos para jantar em algum lugar legal. São datas importantes que merecem ser comemoradas e, no fundo, servem de pretexto para conhecermos mais um restaurante em São Paulo. É também quando aproveitamos para buscar grande parte de nossas inspirações culinárias.

Penne

Vista de São Paulo da varanda do Skye.

A última vez foi no meu aniversário, em fins de agosto. Ontem, lembrando do deslumbre daquele jantar, resolvi arriscar uma massa com amêndoas em lascas ao molho béchamel. Tenho uma tendência a gostar de coisinhas crocantes junto à comida, principalmente, junto ao arroz e às massas, e usar amêndoas em lascas estava na minha lista de pendências há tempos.

É muito legal quando conseguimos reproduzir em casa pratos especiais, daqueles em que cada garfada traz à boca um deleite de degustação com sabores harmônicos e riqueza em detalhes. São sabores que você não define exatamente. É uma combinação diferente da que seu paladar está habituado, porém, maravilhosa.

O meu béchamel, entretanto, ficou com gosto de comida feita em casa, muito apetitoso e gostoso, mas um sabor ainda de dia-a-dia. Quero aprimorar diminuindo a quantidade de cebola em troca de outros temperos mais delicados. Talvez mais alecrim. Quem sabe um pouquinho de erva-doce? Pode ser que o molho ideal não seja este. Não sei, preciso testar. As lascas de amêndoas, por outro lado, estão mais do que aprovadas.

Continue reading