Artigo

Não gosto de coleções, mas…

Eu nunca pedi para colecionar nada. Aliás, nunca gostei de coleções. Revistas, álbuns de figurinhas, quadrinhos, nunca consegui concluir nada. Deixar pela metade me incomodava muito mais do que o suposto prazer por colecionar.

A partir do momento em que adotei gatos, esta história começou a mudar. As pessoas sabem que você tem felinos, assumem que você gosta de gatos e quando querem dar algum presente, apostam em cat stuff. Na maior parte dos casos, funciona. O presente é recebido por um: “oooh, parece o Gandalfo!” ou “que lindo, é igualzinha a Malu!”.

Cat Collection

Na semana passada, ganhei mais um: o door stop da Imaginarium. Estava na minha wishlist há anos, mas eu nunca comprava. Eu, efetivamente, precisava de um apoio para a porta da cozinha. Cheguei algumas vezes na loja mas, por qualquer motivo, nunca conseguia comprá-lo. Foi ficando, até que a Thays, sem saber que eu o namorava há tempos, meu deu! Oba!

Nossos irmãos também vivem achando coisas de gatos: imãs de geladeira, posters de teatros franceses, almofadas, esculturas e por aí vai. Os Duclós, gatófilos como nós, também adoram presentear com felinos. Nos últimos tempos, tem sido os postais com o tema. Tem pinturas belíssimas de artistas de ruas, Escher (sabia que até Escher fez gravuras de gatos?) e Le Petit Nicolas (Mais c’est un chat!).

Eu juro que não gosto de coleções, mas esta está divertida! Raramente, sou eu quem compra alguma peça, o que torna a coleção ainda mais interessante. Cada gatinho conta uma história e lembra alguém.

Selecionei alguns quitutes felinos:

Door Stop Gato Preto da Imaginarium.

Gato Aparador de Livros da Tok & Stok.

Escrevendo este artigo, descobri os sites do Escher e do Goscinny e Sempé, criadores do Le Petit Nicolas. Vão lá visitar. Os dois são bem legais: