Artigo

Reciclagem de Isopor

Sempre pensei que isopor não era reciclável e o jogava em lixo orgânico*. Eis que pesquisando no Portal da Prefeitura, um dos materiais indicados para reciclagem é o isopor.

Em um primeiro momento, ele não era reciclável pela inexistência de tecnologia para isto. Entretanto, esta fase já foi superada. Pode ser tanto transformado em outros materiais diferentes, quanto no próprio poliestireno, o material do isopor, novamente.

Num segundo momento, o fato de não reciclá-lo era mais um motivo econômico do que tecnológico. A reciclagem deste material não era financeiramente viável para as cooperativas, pois sua baixa densidade – material muito leve comparando com sua massa (ou tamanho) – exigia uma grande área para armazenagem do resíduo, que demorava até alcançar a quantidade em peso (toneladas) necessária para ser vendida às indústrias de reciclagem.

Atualmente, entretanto, a Prefeitura de São Paulo está recolhendo isopor para reciclar.

 

Posts em Das Haus Die Frau sobre o tema:

Sites externos relacionados:

* acostumamos a chamar de “lixo orgânico” tudo o que é resíduo e não se recicla. Mas na realidade, apenas pertencem a esta categoria resíduos orgânicos, como restos de alimento, alguns tipos de tecido, madeira etc. Materiais como acrílico, por exemplo, que não são recicláveis, mas também não são orgânicos, teoricamente, deveriam estar separados em uma outra categoria de lixo. Em São Paulo, esta divisão ainda não acontece.

Comentários (9 comentários)

Lí uma reportagem numa revista creio que o nome é dela é Japão Hoje, inclusive esta revista está no acervo da Universidade Univille aqui em Joinville SC. Ela mostra como é possível reciclar o “Isopor” de maneira que não haja nenhum poluente, não agrida o meio ambiente e a reciclagem é 100% natural, trata se de utilização de um óleo chamado limoneno, este óleo é um composto químico, oleoso, encontrado na casca das frutas cítricas como o limão, a laranja, a tangerina, o grapefruit e a bergamota, no Brasil é o que mais tem devido ao cultivo em grande escala destes cítricos. No caso de Joinville, como tem empresas que produzem e consomem em grande escala o “Isopor” – EPS, a prefeitura deveria agir com maior responsabilidade, criar com estas empresas e com “catadores de sucatas” uma O.N.G para reciclar e reutilizar os mesmos (EPS). Um fato curioso e importante está na utilização deste óleo, ele é totalmente reaproveitado para o processo, dificilmente há perda. O investimento seria de obter uma máquina que realizasse a separação do óleo limoneno do produto quimico em forma primária, o qual virá a ser novamente “Isopor”, com isso, todas sobras de materiais que houvessem, tanto na Whirlpool como na Dânica ou Termotécnica, além das empresas que cortam, moldam poderiam ser 100% reciclados, recuperando a matéria prima de primeira qualidade e gerando mais empregos para os associados da cooperativa.´Esta é a melhor maneira de reutilização do material, extração da materia prima e separação 100% eficientes, não necessitando reutilização em preenchimento de lajes, blocos e outros produtos, isto é apenas um paleativo, estarão corrigindo apenas o efeito, não a causa.
Reflitam sobre este assunto e ajudem a divugar estas informações.
Tenham uma boa semana!!

José Siemens Girotto / November 25th, 2008, 8:10 pm / #

Deixe aqui seu comentário