Artigo

Meus primeiros cachecóis

Este ano, quando eu ainda tinha tempo para pensar em coisas novas, mergulhei na tentativa de aprender a tricotar. Minha mãe até tentou me ensinar quando criança, mas todas as vezes foram frustradas.

Apesar de possuir certa aptidão para trabalhos manuais, nada excepcional, mas o bastante para querer brincar, definitivamente, eu não tinha o dom para tricot. Segurar aquelas duas agulhas e fazê-las me obedecer era a tarefa mais complicada do universo.

Eis que em algumas horinhas, uma querida amiga, Sue Maia, conseguiu me ensinar. Foi difícil, além da segurança das agulhas, é preciso muita concentração para não errar os pontos. Mas a paciência de quem ensina é fundamental para o sucesso. O resultado desta experiência está aqui:

  • Cachecol Gandalf

Cachecol

Modelo rústico com lã importada de textura macia e agradável.

Largura: média. Comprimento: grande. É possível dar de duas a três voltas no pescoço.

Frente e verso com pontos iguais.

  • Cachecol Purple

Cachecol


Lã macia e confortável.

Largura: média. Este ponto faz com que as bordas enrolem para o lado de dentro, dando a sensação de cachecol tubo, com largura mais fina (veja a quarta imagem). Isso faz com que ele fique mais cheio e gostoso para usar no pescoço. Comprimento: médio. É possível dar até duas voltas no pescoço.

A frente é diferente do verso (segunda foto: verso; terceira foto: frente)

Estes foram os únicos que fiz até agora e ambos já estão ganhando fama internacional (que chick), passeando pela Holanda e, em breve, por outros cantos da Europa. Tenho outro cachecol começado desde agosto, mas que, infelizmente, não saiu de um palmo de comprimento ainda.

  • Dica: se você gosta de tricotar e vive em São Paulo, o melhor lugar para comprar materiais, principalmente lã, é na R. 25 de Março, naquelas lojas imensas de tecido e armarinhos. Tem muitas opções de lãs importadas com preços ótimos.

Comentários (9 comentários)

Deixe aqui seu comentário