Artigo

Vondelpark in Amsterdam e em música

Falar de Amsterdam talvez seja uma das tarefas mais difíceis para mim. Eu cheguei lá sabendo que iria me divertir, mas que nada seria muito novidade, afinal, a gente está há mais de dois anos acompanhando o Ducs Amsterdam. A impressão que restou, todavia, é “puta que pariu, que baita cidade incrível do caralho”.

Amsterdam

Lago congelado no Vondelpark.

Diferente de vários lugares em que já estive – por exemplo, Las Torres no Parque Torres del Paine é a coisa mais linda que já vi na vida; a chegada de trem em Praga é de fazer chorar ou o encontro do rio Tapajós com o rio Negro Amazonas em Santarém é impressionante – em Amsterdam não tem nada que eu diga, caramba, “não sei o quê lá é muito legal”. Mas o conjunto de coisas bacanas faz com que seja um lugar único. Nós passamos quase 15 dias e, vou dizer, foi pouco. Passaria fácil um mês inteiro naquela cidade: relativamente pequena, organizada e com um delicioso ar cosmopolita, Amsterdam é perfeita :-)

Logo que chegamos, fomos recebidos pelos Ducs e por uma fina camada de neve no chão. Em Janeiro, é raro nevar em Amsterdam, mas nós tivemos sorte. Amanheceu o primeiro dia e fomos ao Vondelpark, o famoso parque perto da casa dos Ducs. As fotos falam por si.

Amsterdam

Amsterdam

Amsterdam

Passarinhos escondidos atrás dos galhos.

Mas a cereja do meu sundae veio chegando no Brasil: um dia desses estava descarregando fotos das câmeras, aliás, justamente as fotos da Holanda, quando encontrei perdido em um pendrive velho várias músicas que um dia um amigo me passou. Joguei no computador e para minha surpresa era de uma banda chamada “Amsterdam Klezmer Band”, que eu não conhecia, nunca tinha ouvido falar até então. Dei play na faixa Vondelpark (clique para ouvir a música online) e fiquei triste por não estar mais lá, mas feliz por ter estado. Amsterdam rules!

Amsterdam

Daniduc e rbp