Artigo

Fissuras gastronômicas: ovos poché

Hoje o dia amanheceu com um sol lindo, daqueles que faz você trocar qualquer café da manhã por um pouco de sol. Peguei um livro, corri para a rede e fiquei estirada feito lagartixa albina lendo até a fome bater de verdade. Não demorou muito. O livro gastronômico descrevendo badejos listrados, lagostas frescas e ostras me fez correr rapidinho pra cozinha. A falta de criatividade, entretanto, imperou mais uma vez. O que fazer? O que fazer… Tã dãm! Ovos poché.

Há anos que o rbp vem falando de aprender a preparar ovo poché. Um tempo atrás, através de um amigo fissurado por comida, fomos aprensentados ao chef “Chulinho”, autor do blog Papo de Boteco e chef do restaurante Sinhá. Lá experimentamos uma coisa incrível, que despertou toda uma nova fase: imagine um treco elipsóide empanado em uma casca fina à milanesa, que quando quebrado com o garfo transborda gema cremosa em meio à clara consistente.

Desde então, pegamos as dicas com “Chulinho” e, assim, iniciamos uma grande maratona para aprender a fazer ovos poché (sem a parte à milanesa, por que isso é coisa de profissa). Bota o ovo na água, ferve, tira, joga na água fria, descasca, pronto! Simples assim. Parece bico falando, mas erramos um bocado. Todos os dias, no café: Bom dia, o que teremos hoje para o café? Ovo poché! No almoço: arroz, feijão, carne e ovo poché. Jantar: carbonara com ovo poché. No dia seguinte: ovo poché, ovo poché, ovo poché… Era mais de uma dúzia por semana de ovos caipiras, todos cuidadosamente preparados em cada refeição. Depois de acertarmos, finalmente, o ponto, a disputa era para ver quem tirava a casca mais perfeitamente. Sempre empatávamos com ovos horrendamente destruídos, mas deliciosos, com gema cremosa “chunchada” no pão.

O ovo de hoje foi o record da casa: ponto perfeito e casca tirada sem deixar nem uma marquinha sequer. Uhuuu! Fiquei tão feliz que tirei o marido da cama, com o ovo no receptáculo: olha, olha, ficou perfeito, deu certo! :-D
Ovo Poché

E por falar em ovo, desde que roubaram meu celular, cujo timer era excelente, e acabou a bateria do timer digital da cozinha, andei queimando muitas panelas por aí. Ontem, a Carladuc, do Entre Panelas, indicou o eggtimer para o dashboard do mac. Excelente! Não só porque é bonitinho, não só porque ele fala ao final do tempo “It’s time to check the ovow póch”, mas porque 99% das vezes em que esqueço algo no fogo é quando estou entretida no computador. Funciona perfeitamente! :)
eggtimer

Ovo Poché

Ingredientes

  • Água em temperatura ambiente
  • Água bem gelada (em temperatura ambiente com cubos de gelo ou água da geladeira)
  • 1 ovo
  • sal
  • pimenta do reino moída na hora

Modo de preparo

Coloque o ovo com casca dentro de uma panela pequena com água de modo a cobrí-lo completamente. Leve ao fogo alto e deixe ferver. Quando começar a ferver (mas ferver de verdade, não quando começarem a subir as primeiras bolinhas), mantenha o fogo alto e conte 4 minutos. Ao fim deste tempo, retire o ovo com uma concha e, para interromper o cozimento, coloque-o em outro receptáculo com a água gelada de modo a cobrí-lo inteiramente. Deixe por 1 minuto. Remova a casca com cuidado e tempere com sal e pimenta.

Comentários (1 comentário)

Deixe aqui seu comentário