Artigo

Não só de salsichões e strudels vive a Áustria

wolfs

Terça-feira, saímos para uma comemoração provisória do nosso aniversário de casamento, já que a semana está pra lá de corrida e não caberia nada muito elaborado numa terça-feira chuvosa e com cinco pontos de alagamento na cidade. Fomos ao Wolf’s Garten, o restaurante do chef austríaco, há poucos quarteirões de casa e onde almoçamos toda a semana.

Caramba, eu me esquecera de como era gostoso o cardápio do jantar. Estava tudo tremendamente bom e, no fim, de provisória, nossa comemoração não teve nada. Para mostrar quem é que manda nesta relação que perdura, tomamos um vinho tinto austríaco.

Eu sabia que a Áustria fazia cervejas, não tão boas quanto as alemãs ou belgas, mas gostosas. Conhecia também a fama da weiss wurst, dos strudels, knödels e schnitzels. Tinha ouvido falar dos vinhos brancos. Mas não sabia dos tintos. É tão legal quando tropeçamos em nossos próprios preconceitos e quebramos a cara. E vou dizer, entrou na lista dos melhores vinhos que já tomei: Illmitz, a região que dá nome ao vinho, feito com a uva Zweigelt, da vinícola Alois Kracher. Tem para comprar na Mistral. :)

Leia mais em Das Haus Die Frau:

Comentários (0 comentários)

Não há comentários neste artigo até o momento.

Deixe aqui seu comentário