Artigo

This is halloween (not the Saci day)

Tá, de acordo com o calendário nacional, hoje é sim o Dia do Saci, mas eu vou explicar porque acho besta esta comemoração.

A idéia desta data surgiu, segundo reportagem no Portal Onne, através da Sociedade dos Observadores de Saci na tentativa de recuperar e fortificar o folclore nacional. Desde 2005 a lei foi aprovada pelo governo federal e a data faz parte do nosso calendário. Até aí, ok, acho tudo muito interessante.

Só é ridícula – senão, infantil – escolher o 31 de Outubro como data oficial para o Saci em detrimento do Halloween ou Dia das Bruxas. É muito interessante recuperar culturas e tradições brasileiras. Só não acho que é preciso para isso a negação de tradições estrangeiras. Oras, porque não comemorar o Halloween? Qual o problema em comemorar uma data que não é própria do seu país? Do papai noel, ninguém reclama. Para que criar uma data forçada e incutir nas pessoas que hoje é o Dia do Saci, sendo que há décadas nossas crianças comemoram o Halloween junto com os americanos, ingleses e tantos outros?

O que é mais forçado: importar uma tradição estrangeira ou impor institucionalmente uma “tradição” nacional? Tradição entre aspas porque tradição não se impõe, ela surge de uma espontaneidade popular e passa a fazer parte da cultura daquela sociedade que compartilha das mesmas virtudes. O mundo compartilha da cultura norte-americana, para quê negar? Não significa adorá-la (no sentido de adoração) e nem mesmo concordar com todos os aspectos dessa cultura. É claro que o senso crítico é importante. E é importante também recuperar as nossas tradições. Mas não é preciso negar uma para aceitar a outra. Hoje é o Halloween. Amanhã é o Dia do Saci.

No colégio em que estudei, a gente comemorava Halloween. Fazíamos festas e íamos de preto para a escola. Era muito legal. Ficava brava quando um adulto chato, metido à nacionalista, negava um doce à porta “porque o Halloween não é uma comemoração brasileira”. E o natal é? Coelhinho da páscoa? Ah, mas vão dizer que o Brasil é um país católico (forçadamente, diga-se) e essas são datas religiosas. E o halloween não é a comemoração de véspera de finados, que é também uma data comemorada pela Igreja Católica? Pois é. Mas coloca-se no halloween todo o peso da “odiada” cultura americana e condenam aqueles que comemoram.

No meu colégio, a gente também tinha uma semana de comemoração do folclore nacional, junto à feira do livro, com história de Monteiro Lobato e tantos outros clássicos da literatura brasileira. Ouvíamos contos de sereias, sacis e curupiras enquanto brincávamos com pés de latas e pipas.

O meu ponto nisso tudo é: a cultura e a tradição têm de ser espontâneas e no mundo globalizado, em que a informação circula de forma cada vez mais rápida, é esperado que haja uma miscigenação das culturas. Come-se pão de queijo em São Paulo e nos Estados Unidos (ainda que seja tradicional de Minas Gerais) e comemoramos Halloween no Brasil. E isso é legal! Não é ruim. São experiências ainda mais ricas e é muito interessante quando podemos compartilhar com outros povos o que faz parte do nosso mundo. Da mesma forma, é legal quando recebemos dos outros aspectos de um mundo que não é o nosso.

E para registrar a data, recupero as imagens do Halloween passado, quando fizemos nossa comemoração com uma festa de jogos e trilha sonora de The Nightmare Before Christmas e The Rocky Horror Picture Show, meus musicais prediletos, que aliás, assistirei hoje à noite :)

Halloween

Halloween

Comentários (6 comentários)

Deixe aqui seu comentário