Artigo

Maçã com acento e cedilha é bem melhor

Após renegar o Gimp em favor do Photoshop, que é definitivamente melhor, o próximo passo na construção do caráter do aprendiz em design é renunciar o PC em favor do Mac.

Desde ontem cá estou com a maçã e já posso falar sobre as primeiras impressões:

  1. Eu odeio o fato de as teclas “home” e “end” não funcionarem no navegador. Eu costumo usá-las muito, principalmente para selecionar linhas, e me incomoda ter de usar duas teclas (“maçã+seta para frente ou para trás”) para fazer exatamente a mesma coisa que o PC faz com apenas uma. Para selecionar, são três: “maçã+seta+shift”. Agora mesmo, enquanto escrevia este post, me pegava apertando “home” ou “end” e sendo levada para o topo ou fim da página, quando o que eu queria, na verdade, era apenas ir para o fim da linha.
  2. Porque diabos o teclado do Mac não vem configurado com acentos? Acentuação simplesmente não funciona! Foi com a dica da Carla e a ajuda deste tutorial, que consegui instalar um mapa de teclado brasileiro e agora está funcionando direitinho. O passo-a-passo do tutorial, em português, é excelente.
  3. Photoshop funciona maravilhosamente bem e me livrei de precisar convencer o rbp a instalar Windows no meu antigo PC só para rodar os pacotes da Adobe.
  4. O mundo através das 20″ widescreen é muito mais feliz :)

Para os perdidos no Mac, como eu, o site MacMundi é muito bom. Excelentes artigos, tutoriais, dicas, fóruns, reportagens etc.

Comentários (4 comentários)

“Não querendo soar provocador, mas uma antiga usuária de linux não pode se incomodar com uma mera instalação de teclado, qualé?” (Badá)

(FFLCH mode) Porém a Apple é do mercado. Diferente do Linux, que é underground, software livre. Ter de instalar coisas e fazer ganbiarras para funcionar no Linux é um pequeno preço a se pagar pela opção de usar o politicamente correto. (/FFLCH mode)

Brincadeiras à parte, os produtos da Apple deveriam vir mais prontos para o usuário final, ainda mais em se tratando do nome em usabilidade. Além de tudo, eu nunca precisei instalar mapa de teclado no Lunix. Aliás, as últimas versões, como Ubuntu ou Kalango são tão boas, que qualquer um pode fazer a instalação em poucos minutos. Há alguns anos, lembro de usar o Red Hat e não saber fazer o micro ler um disquete, a não ser abrindo uma shell. Não tinha atalho. Hoje tem! Quero dizer, até o Linux que é Linux evoluiu pacas nas últimas décadas. Na verdade, acho que por ser Linux é que evoluiu pacas, porque os melhores nerds trabalham para melhorá-lo.

Com relação às teclas, no Imac tem praticamente as mesmas teclas do PC comum. Os notebooks da Apple é que têm menos. Acho que o maior problema do mac, de forma geral, não é inventar atalhos diferentes e usar a “maçã” como tecla adicional (no lugar da tecla windows, que quase não se usa) – isto eu acho bem legal, pois abre a possibilidade de usar ainda menos o mouse – o ruim é quando confundem, por exemplo, o “ctrl” com a “maçã”. Aumentar ou diminuir imagens no Photoshop no PC é “ctrl+positivo ou negativo”, no mac, é “maçã+positivo ou negativo”. Copiar e colar no mac é como no PC, só que troca-se “ctrl” pela “maçã”. Isso confunde o usuário. Ainda assim, acho que é tudo uma questão de costume!!

alickel / September 16th, 2008, 12:34 am / #

Deixe aqui seu comentário