Artigo

Retratos e histórias da família Lickel

Ontem aconteceu o churrasco anual de família, que meu tio tem organizado em sua casa. Desde que a oma faleceu, em Outubro do ano passado, estas pequenas reuniões têm trazido excelentes doses de saudades e recordações.

Recentemente, este meu tio, Johann Lickel (irmão de meu pai), também muito curioso e sempre em busca de informações sobre nossa história, chegou em meu blog. Contente por ver que as pesquisas que ele outrora fizera estavam organizadas, publicadas e atraindo pessoas que vivenciaram histórias semelhantes, ele passou a nos incentivar ainda mais. Ontem, além de poder conversar mais uma vez com todos os irmãos de meu pai, o tio Johann nos presenteou com um poster do brasão de nosso sobrenome; ganhei também um livro sobre Entre Rios, a colônia no Paraná fundada pelos iugoslavos de Kapetanovo e Hrastovac e pude, ainda, ficar com algumas fotos para digitalizar, que já estão organizadas no Flickr.

Não vou demorar-me a recontar toda a história, mas eles saíram da Iugoslávia durante a perseguição do ditador comunista Tito, refugiaram-se na Áustria e vieram para o Brasil em 1952. Tenho dois artigos publicados que contam com mais detalhes esta saga: Registros da minha origem e Registros da família Lickel.

Enquanto conversava ontem com uma de minhas tias, Magdalena Lickel, líamos o livro e víamos as fotos da fuga, comecei a imaginar o que teria sido atravessar a Iugoslávia em direção a Áustria, com todos os pertences e alimentos nas carroças, fugindo de bombas e tiros durante seis semanas, deixando no caminho amigos e familiares mortos pelos ataques e tentando proteger os que sobreviviam. Meu pai tinha apenas um ano e só se alimentava de leite materno. Minha avó, por escassez de comida, quase já não tinha mais leite. Ainda assim, a família chegou completa na Áustria.

A Áustria estava destruída pela guerra. Os refugiados se abrigavam em acampamentos e aglomerados de gente. Meus avós tiveram sorte e logo conseguiram trabalho em uma fazenda. Assim que surgiu o programa de migração para a América, eles vieram para o Brasil, com a esperança de reconquistar terras próprias, novamente.

Minha tia era pequena, tinha apenas 5 anos, mas se recorda do trajeto de trem do porto de Santos ao Paraná, quando viram, pela primeira vez, bananas. “Teve uma mulher negra que passou por nós e deu um tapinha carinhoso em meu rosto. Eu nunca tinha visto pessoas negras e perguntei a minha mãe se meu rosto ficara marcado de preto”, conta minha tia.

Abaixo, algumas fotos que acabo de digitalizar. As outras, estão no Flickr.

Colheita de batatas

Minha avó, Magdalena Lickel, trabalhando na lavoura, plantação de batatas, na Iugoslávia. Por volta de 1934-1937.

Casa Kapetanovo

Casa onde meu pai e seus irmãos, Johann e Zigfried (Fritz) nasceram, em Kapetanovo, Iugoslávia.

Família Lickel no Brasil

Família Lickel no Brasil, em Entre Rios: Magdalena Lickel (oma), Johann Lickel (opa), Johann Lickel, Jacob Lickel (irmão do opa), Margaret Lickel, Zigfried Lickel, Anna Lickel (pai do opa) e Heinrich Lickel (meu pai). Ainda não havia nascido Helen Lickel, a filha mais nova da família.

Papai é o único sem calçados! Este é o legado do filho homem caçula, que herda as coisas usadas dos irmãos mais velhos. Gosto da careta e da pose de travessura dele nesta foto :-)

Comentários (7 comentários)

Aline we are trying to contact you about your family.
Ron Berg-Iverson e-mail
bergiverson@shaw.ca

Father: Michael Kehl, born to Michael Kehl and Anna Maria Jung in Gerenyes, Baranya, Hungary on 29 September 1853.
Died in Hrastovac,Slavonia,Croatia 8 Sept.1908
Mother: Katharina ( Kata ) Melcher -date and place of birth unknown.
Died in Hrastovac around 1915
Note: Catharina Melcher chr.26 Nov.1858 Egyhazaskozar,Baranya,Hungary
Mother Elisabetha Melcher

Is this your g-grandmother? ANA KEHEL?
4. Anna Maria Kehl – born 1 May 1887 at # 114 in Hrastovac.
Married Johann ( Hans ) Likel in Kapitanovopolje. Had 15 children. Went to Brazil.
Lickel cousins in Sao Paulo

Ron Berg-Iverson / December 1st, 2008, 7:49 pm / #

Deixe aqui seu comentário